domingo, abril 08, 2007

Dança de cadeiras

A política é uma coisa interessantíssima. Quando Bush criticava França por representar a velha Europa estava longe de saber que os democratas lhe iam fazer a vida negra. E em França ainda não havia o fenómeno Sarkoshow.
Agora que Bush está quase a sair e a América (espero eu) a mudar de caminho, o “bushismo” naquilo que de mais neo-con ele tem, começa a surgir em França pela mão de Sarkozy.

3 comentários:

JÚLIO SILVA CUNHA disse...

Pelas suas palavras, imagino que Sarkozy foi um tipo de esquerda na juventude e que mais tarde fez um "aggiornamento" ideológico, certo?
É que para colar a sigla neocon, é preciso alguns requesitos para além de defender a política da janela partida!
Giuliani foi o político que mis defendeu esta tese da janela partida, será ele neocon?

JÚLIO SILVA CUNHA disse...

Já para não dizer que o poder da França é de amedrontar...

José Raposo disse...

Júlio tem razão. O meu post pode ser interpretado dessa forma apesar não ser o meu objectivo.
Na realidade o que pretendia era falar de um conservadorismo em matéria social ligado a sectores neo-con nos EUA e que agora aparecem tb em França. Não que a França estivesse a pensar exportar a democracia da mesma forma que os neo-con's.
Fica aqui a ressalva.