quinta-feira, janeiro 18, 2007

Falta de decência mascarada de respeito pela vida

Com as pessoas com pensamento linear como o João César Torquemada das Neves, costumam resultar exemplos de lógica simples e de preferência económica.

Angola está a crescer anualmente na casa dos 13% ao ano. E isso é bom mas representa uma possibilidade estrutural da economia angolana em crescer muito depressa, porque antes não conseguia crescer nada. Mas isso quererá dizer que o crescimento económico angolano os coloca imediatamente a par de países ricos que até crescem menos? Não.

Logo, se não temos abortos legais é perfeitamente natural que a sua liberalização faça aumentar consideravelmente o número absoluto de abortos, porque antes eles não existiam (legalmente). No entanto isso significará que vai haver mais mulheres a engravidar só para terem essa extraordinária possibilidade de abortar, tal como se estivessem a utilizar o telemóvel? Não creio.

Aliás parece-me até que o argumento é de tal forma repugnante que qualquer campanha do NÂO, deveria hesitar em ter este anormal nas suas fileiras. Comparar o fenómeno associado a tendências, e modas, na aquisição de telemóveis de acordo com o seu preço ou características, é o mesmo que dizer que as mulheres da tal cultura abortista, que ele refere, passariam a fazer abortos porque as amigas já tinham feito e tinham gostado. O que naturalmente não passa de um absurdo cretino de uma mente perturbada e irresponsável.

4 comentários:

Anónimo disse...

Esta coisa de fazer analogias absurdas sobre o aborto começa a atingir níveis insanos. A tentativa do efeito-choque é mesmo algo que faz parte dos nossos tempos e não é só lá fora...

Anónimo disse...

Este é um texto igual para vários blogues:


Por ter decidido criar a “Escola de Astrologia Nova-Lis”, mantendo ao mesmo tempo, a minha actividade de editor do “Anjo Dourado” necessito de TEMPO para me dedicar àquilo que mais gosto: os livros e a astrologia.

Por isso, decidi apagar o meu blogue “Postais da Novalis” no próximo dia 5 de Fevereiro. Não o faço mais cedo, porque nesse mesmo dia ainda farei o post colectivo da “Rede de Blogues Espirituais”.

Sou dos que entendem que, quando se desiste de um blogue, se deve apagá-lo completamente, para que não fique por aí a vaguear, criando energias paradas, que se vão transformando em restos energéticos negativos.

Como entendo que uma coisa leva à outra, também venho solicitar o favor de retirar este meu blogue da sua lista de linques, de modo a que o seu sítio fique energeticamente limpo e bem arejado.

Agradecido por este tempo de convívio,

António Rosa

cuotidiano disse...

Esse senhor é asqueroso! Não tenho mais comentários a fazer

pdamásio disse...

Parece-me que todos os "radicais" de ambos os lados dizem coisas absurdas!...no entanto, há que REALÇAR num blog como este as opiniões sensatas e não as absurdas. Até porque o tema é polémico e há razões válidas de ambas as barricadas. Sugiro, por exemplo, que abordem as opiniões de Vasco Pulido Valente e Jorge de Miranda, ambos no PÚBLICO de 20/01.
VPV, por ex., refere algo de interessante, como o facto de o aborto estar a ser discutido pela classe média e há luz dos seus valores, quando, na sua essência, este não ser um problema da classe média...logo a nossa análise será sempre "distorcida"...Jorge de Miranda monta uma argumentação muito forte a favor do não, articulada com a Constituição e fazendo duas questões essenciais: a esquerda progressista propõe como solução para um problema o seu simples enquadramento legal?...devemos fazer o mesmo em relação à droga e à prostituição?
Sejam "opinion-makers" e escalpelizem isto, vá lá ;)